Transparência e desabafo sobre falta de ética

No intuito de ser o mais aberto e transparente possível, e também de desabafar algumas coisas vamos aos dados:
Eu não sei quantas horas eu passei traduzindo o livro, mas eu estimo alguma coisa por volta de 1 hora por página (foram quase 4 meses de tradução). Então alguma coisa em torno de 300-400 horas.

Depois disso teve a pré-revisão, eu calcula alguma coisa em torno de 10 horas (foi aproximadamente 1 semana).
Aí veio a correção do texto e diagramação, o tempo de edição de arquivo totaliza 105 horas.
Ainda falta considerar o tempo que gastei para rever termos, buscar opiniões, rever termos de novo, tratar as imagens, procurar novas imagens, criação do caçador Viajante, criação do site, testes da logística do Clube de Autores, revisão final e outras coisas diversas. Eu estimo que estas horas faltantes totalizem umas 150 horas. Ou seja, eu devo ter trabalhado um pouco mais de 600 horas nestes 7 meses.

Minhas despesas durante o processo de tradução (compra de direitos de imagens, compra de material extra de apoio, testes de impressão, etc), totalizaram uns R$ 700,00.

Minhas estimativas de venda eram umas 100 unidades em toda vida do jogo. É mais ou menos isso que é vendido nos financiamento coletivos, talvez um pouco mais. Como o jogo não é muito conhecido eu imaginei que venderia metade disto inicialmente, e o resto seria vendido com o passar dos meses, com sorte chegando nas 100 unidades.

Sobre os valores dos livros:
Para cada edição impressa minha renda bruta é R$ 29,00, para cada PDF é R$ 20,00. Disso eu preciso descontar os valores de royalties. Atualizando sobram R$ 20,00 e R$ 16,00 respectivamente. Se você estiver acompanhando as contas, eu preciso vender umas 40 unidades (metade PDF e metade impresso), apenas para acabar empatado (ou seja, sem ter tido gasto).

Eu vendi até agora (descontando royalties):
Impresso 22 => R$ 440,00
Ebook: 15 => R$ 240,00
Total: => R$ 680,00

Ou seja, depois de um mês, eu estou quase acabando empatado, sem ter tido prejuízo. Meu lucro máximo se vender TUDO que eu espero, será talvez R$ 1000,00 daqui um ou dois anos.

Esta é a minha contabilidade. Agora vamos falar de livros “grátis”. Quando tudo estava pronto eu presenteei o PDF para o Jonata Rubio Sodre (ele apoiou imensamente o projeto, e sua ajuda foi grandiosa, inclusive na divulgação), para o Alisson Vitório (ele deu vários toques importantes sobre o cenário do RPG nacional, e também ajudou em várias discussões sobre a tradução) e para o Rafão Araujo (ele também deu bastante força, me deu algumas ideias e ajudou a planejar o site para divulgação). Além destes 3, o Leandro Pugliesi pediu uma cópia para fazer uma resenha para o RPGNoticias no dia do lançamento, e o Ivan Barion também pediu uma para eles jogarem uma sessão no Tear dos Mundos (só tenho a agradecer o apoio que vocês deram, adorei ter visto o Monstro da Semana no Tear dos Mundos e no Escudo do Mestre).

Acabada a transparência, chegamos na hora do desabafo.

Durante todo o lançamento me acusaram de vender o livro caro demais, de só pensar em lucro, de que eu estava querendo ganhar em cima do povo vendendo material além do preço de mercado e tudo mais. Exposta a contabilidade, eu quero que alguém me responda honestamente que lucro eu vou ter e se este projeto teria sido financiado de qualquer outra forma se não fosse meu trabalho voluntário? O preço dele é caro demais considerando os gastos e quanto talvez sobre para mim?

Outro ponto, ontem vieram me avisar que tinha um livro pirata no Clube dos Autores. Um “Monstro da Semana – Vitório Edition” sendo vendido pelo preço de custo do Clube dos Autores (no caso dava uns R$ 39,00). Este livro estava aparecendo para as pessoas que procuravam o Monstro da Semana original e aparecia em buscas de apocalypse, awe, etc. Este livro estava com a capa da versão da Evil Hat. No final das contas o livro quebrava direito autoral meu, do Michael Sands, do Daniel Gorringe, do Juan Ochoa e da Evil Hat. Aí vem Alisson Vitório, que assume a responsabilidade pelo livro falso, e justifica dizendo que esta era a melhor maneira de adquirir a versão física (ao invés de comprar a original e oficial)!?! E finaliza dizendo que não houve prejuízo e que ele é um entusiasta das produções independentes!?! Sério isso? Assim que ele apóia as produções independentes? Além de ganhar um PDF de graça ele ainda compra uma versão impressa pirata que não paga royalties e nem recompensa o trabalho de que trouxe o livro para o Brasil? Esta é uma pessoa que está iniciando agora uma editora de jogos de RPG, cadê a ética deste pessoal que já começa assim?

Finalizando meu desabafo. Já tinham me avisado que o Lampião Game Studio pretendia lançar Mistérios e Arcos para Monstro da Semana de forma comercial, e queriam fazer disso uma rotina lançando todos os meses. Considerando a falta de ética de um dos fundadores do Lampião Game Studio nesta situação, EU, Luiz Borges, tradutor e editor de Monstro da Semana, NÃO endosso e NÃO recomendo qualquer publicação ou produto relacionado a Monstro da Semana produzida por este grupo. Eles tem toda a liberdade de lançar qualquer produto relacionado ao Monstro da Semana que desejarem, mas eles nunca terão minha recomendação. Eu não doei 600 horas minhas para ver este tipo de falta de ética surgir de pessoas que dizem querer ver o RPG nacional crescer.

Anúncios

4 comentários sobre “Transparência e desabafo sobre falta de ética

  1. isso sem contar quando a Taverna do Elfo e do Arcanios pegarem seu livro. Meu amigo, tem muita coisa triste neste mercado, e tem que ter pernas fortes pra aguentar tanta gente mesquinha. Força e sucesso pra vc!

    Curtido por 1 pessoa

  2. NOTA DE ESCLARECIMENTO:

    Olá pessoal!

    Quem me conhece, sabe que sou um cara que se distancia de conflitos. Mas nesse caso há necessidade em explicar o que aconteceu:

    Prometi uma resenha do Monstros da Semana a Luiz Borges, tradutor do livro.
    Ganhei o PDF como reconhecimento, por participar do MdS desde quando ele era apenas um projeto, auxiliando na tradução de termos, conversando sobre a escolha da plataforma de distribuição, ou seja, fui participante bastante ativo (acho que foram mais de 50 mensagens trocadas). Monstros da Semana representa para mim a concretização de um sonho, logo, me sinto tão responsável por ele quanto Luiz.

    SEMPRE adquiro produtos nacionais de forma legal, e participo praticamente de todos os financiamentos coletivos do de RPG no Brasil, quer uma prova? Abra seu livro predileto que foi produzido via FC, e dê uma olhada nos apoiadores. Você me encontrará lá. Acredito sim na força da produção independente e tenho orgulho em fazer parte dela e incentivá-la de todas formas possíveis.

    Como fui agraciado com o pdf e prometi a tal resenha a fim de auxiliar na promoção do jogo, decidi que precisaria de um livro físico para ler a caminho do trabalho, ou em momentos propícios, achei que uma versão encadernada impressa em casa não faria jus ao material em que me envolvi tanto na produção e que serviria na avaliação para a resenha.

    Resultado? Elaborei uma capa com meu nome para ter aquela satisfação especial ao apresentá-lo aos amigos e procurei uma impressão sob demanda…

    O problema: A página do Clube dos Autores ficou aberta com meu projeto pessoal (a intenção NUNCA foi vendê-lo), assim que me informaram corrigi isso. Nenhum livro foi vendido.

    Sendo assim, entendo o desabafo e a frustração com o ocorrido, conversei com o tradutor retratando-me. Continuarei dando todo apoio sim ao cenário independente (como sempre fiz com o Dungeon World, Old Dragon, UED, Savage Worlds, FATE, Our Last Best Hope e em tudo em que me envolvo), incentivando a compra do livro em formato físico, produzindo material de apoio, etc. Porque simplesmente curto demais o hobbie.

    Sei que esses mal entendidos acontecem… Faz parte e é difícil demais se manter longe delas quando você se relaciona com o mundo.

    Espero ter esclarecido os fatos. Abraços e bons jogos!

    Curtir

    • Eu aprovei seu comentário pq sou contra qualquer tipo de censura (a ética me proíbe deste tipo de coisa). Acho que vc está confundindo um pouco as coisas. Ao meu ver, você se sente meio proprietário do livro. Eu aprecio a sua ajuda, e manifestei isso abertamente e particularmente, mas o livro NÃO é seu, este projeto NÃO é seu. Então não tem essa de colocar o nome da capa e imprimir para mostrar para os amigos. Isso é usurpação do trabalho alheio de forma ética, e crime de direito autoral de forma legal.

      Tudo isso pra que? Economizar R$ 30,00 na versão oficial (os mesmos R$ 30,00 que vc não pagou pq ganhou o PDF). Isto não é apoio ao cenário de RPG nacional, isso não é mostrar reconhecimento pelo trabalho dos outros, isso é pirataria, maracutaia, egoísmo, falta de ética e CRIME. Isso não é o tipo de coisa que se espera de uma pessoa do seu porte no RPG… Isso não é o tipo de coisa que se diz “foi mal aí, tirei lá da página”.

      Aliás, nem mesmo a tal resenha que vc me prometeu (por iniciativa própria, pois eu não pedi) você fez. E olha que vc está com o PDF já faz mais de 1 mês, o livro pirata foi criado em 13/10, colocando uns 10 dias para ter recebido, vc já deve ter ele em mãos faz mais de 2 semanas. Aliás, eu perguntei em 19/10 o que tinha achado do livro em particular justamente em consideração ao seu conhecimento em Dungeon World e Apocalypse Engine e sua resposta foi: “Lendo pouco a pouco, como já li o aw, dw, e vários outros títulos da engine tentarei terminar rápido”. Até agora nada.

      Mas isso não é uma cobrança, eu não quero, nem espero uma resenha sua. Para mim este assunto já deu o que tinha que dar. Eu criei este post no interesse de ser o mais transparente possível, eu sou uma pessoa só, não tenho um staff para dividir responsabilidades e dividir encheção de saco. Como gerenciar paulada toda hora estava difícil vou daqui para frente deixar minha situação totalmente as claras. Qualquer dúvida que alguém tiver eu irei responder. Se quiser ver meus extratos de venda, eu irei divulgar. E se alguém quiser saber qual o nível de ajuda que recebi das pessoas que falaram comigo durante o processo eu mando os textos de conversas trocadas na íntegra. Eu não acho que de forma alguma sua ajuda o qualifica para dizer “me sinto tão responsável por ele quanto Luiz.”

      Curtir

    • “Ganhei o PDF como reconhecimento, por participar do MdS desde quando ele era apenas um projeto, auxiliando na tradução de termos, conversando sobre a escolha da plataforma de distribuição, ou seja, fui participante bastante ativo (acho que foram mais de 50 mensagens trocadas). Monstros da Semana representa para mim a concretização de um sonho, logo, me sinto tão responsável por ele quanto Luiz.”

      Isso não faz O MENOR SENTIDO. Você ajudou, ganhou o pdf.

      Achar que 50 mensagens te fazem tão responsável pela tradução quanto o cara que se debruçou sobre o projeto, negociou a licença, correu atrás da opinião de várias pessoas… Não cara, não te deixa nem perto da responsabilidade do Luiz.

      Isso tudo por causa de uma ninharia, sendo que você ainda por cima já tinha ganho o PDF.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s